19 títulos alternativos dos 100 anos de Palmeiras

0 422

Publicidade

Nomeado “Campeão do Século”, o Palmeiras acumulou muitos títulos importantes durante sua história centenária. Mas nem só de Copa Rio, Libertadores e Brasileirão viveu o Verdão. O time também acumulou algumas taças e trofeus bastante curiosos e alternativos. Em alguns casos por causa dos nomes, em outros por causa do que aconteceu em campo.

Veja 19 trofeus “estranhos” dos 100 anos de Palmeiras:

Taça Beirute (1919)

Será que a taça foi batizada por causa da capital do Líbano? Esperamos que tenha sido por causa do sanduíche. Fato é que o Palestra Itália conquistou esse título em um jogo contra a Associação Atlético das Palmeiras – clube que futuramente influenciaria sua mudança de nome. O Palmeiras nem precisou do seu artilheiro Heitor em campo para vencer por 3 a 0. Foi o único título conquistado pelo alviverde no Estádio Parque São Jorge, do rival Corinthians.

Trofeu Rio de Janeiro (1920)

Calma, o Palestra não foi campeão carioca. Mas representou o estado de São Paulo em um duelo contra a Seleção do Rio de Janeiro. Venceu por incríveis 5 a 1 e levou o trofeu com nome do estado rival.

Taça Guaraná Espumante (1922)

É verdade, a Lacta já fez guaraná. Devia ser melhor que Kuat
É verdade, a Lacta já fez guaraná. Provavelmente era melhor que Kuat

Muito antes de virar moda os campeonatos terem nomes de empresas e produtos, a Lacta foi visionária. Colocou o nome do seu guaraná, muito famoso na época, em uma taça que já foi vencida por Palmeiras em 1922 e pelo Corinthians em 1926.

Taça dos invictos (1934)

O Palmeiras foi o primeiro campeão dessa taça, que é de posse provisória. Na verdade chamava-se Taça Gazeta Esportiva, mas ficou conhecida assim por causa do seu regulamento: quem conseguisse mais partidas sem derrota era laureado com a taça. O Palestra ficou invicto de 9 de julho de 1933 a 26 de agosto de 1934 e depois isso foi reconhecido como primeiro título da Taça.

Taça Prefeito Dr. Guilherme (1934)

O prefeito de Uberaba era tão egocêntrico que colocou o próprio nome em uma taça disputada entre o time local e o Palestra Itália. Mas o resultado certamente não foi o que ele queria: os paulistas venceram o Uberaba por 4 a 0.

Trofeu Antonio Feliciano (1945)

Um jogo entre Palmeiras e Corinthians foi usado para captar fundos para a campanha eleitoral do Partido Comunista do Brasil (PCdoB). O time alviverde venceu por 3 a 1 e ainda levou outro prêmio: o Trofeu Tuffy Fried, que teria outros critérios de premiação, mas acabou decidido apenas neste jogo mesmo. O nome deste trofeu foi dado em homenagem ao goleiro Tuffy e ao atacante Friedenreich

Trofeu Cidade do México (1952)

Em uma época que era comum ver times enfrentando seleções, o Palmeiras bateu a equipe mexicana, por 3 a 2. A vitória é ainda mais impressionante porque aconteceu fora de casa, no Estádio Olímpico Universitário do México.

Copa IV Centenário do Rio de Janeiro (1965)

Só a lista de times participantes do torneio já é bastante alternativa: Palmeiras, seleção do Paraguai, Peñarol e Fluminense. O time paulista venceu os dois primeiros, mas nem jogou contra o único representante carioca para vencer logo uma taça carioca.

Trofeu Ramon de Carranza (1969, 1974 e 1975)

Dizem que, quanto menor é o torneio, maior é a taça. Concordo
Dizem que, quanto menor é o torneio, maior é a taça. Concordo

É um torneio folclórico, mas muito tradicional, pois já teve 60 edições. E o Palmeiras foi o primeiro brasileiro a ser campeão. Naquela oportunidade bateu o Atlético de Madrid nos pênaltis e depois venceu o Real Madrid na final, por 2 a 0. O time alviverde ainda foi bicampeão consecutivo, em 1974 e 1975.

Copa Kirin (1978)

Foi a primeira edição do torneio japonês organizado pela Kirin Brewery Company. O Palmeiras dividiu o título com o Borussia Mönchengladbach. Os times empataram por 1 a 1 na final e não houve decisão por pênaltis. Atualmente a Copa só é disputada por seleções.

Torneio do Café (1984)

Foi um triangular disputado com São Paulo e Londrina. Mas o nome da taça não é uma homenagem direta à bebida. É uma menção ao local em que ela foi disputada, o Estádio do Café.

Trofeu Cidade de Lima (1985)

Mais uma vez o Palmeiras enfrentou uma seleção para ser campeão fora de casa. Dessa vez o duelo foi contra o Peru e terminou 1 a 1. O empate bastou para o título.

Trofeu José Maria Marin (1987)

Será que o Troféu José Maria Marin também dava medalhas?
Será que o Troféu José Maria Marin também dava medalhas?

O atual presidente da CBF é ex-jogador de futebol e foi homenageado na época em que era político – tinha sido candidato ao senado um ano antes. O troféu foi concedido ao campeão do primeiro turno do Campeonato Paulista, quando o Palmeiras buscava sair de um longo jejum de títulos importantes. Com o trofeu, o time se classificou para a semifinal do estadual, mas perdeu para o São Paulo e amargou mais seis anos de fila.

Copa Brasil-Itália (1994)

Foi um triangular disputado com Lazio e Santos. Era um torneio amistoso, mas curiosamente aconteceram expulsões nos dois jogos do Palmeiras, sempre com jogadores adversários. O time alviverde foi campeão batendo os italianos e empatando com o Peixe.

Copa Lev Yashin (1994)

O Palmeiras venceu o Spartak e o Dínamo de Moscou para conquistar esse trofeu. O nome dele era uma homenagem ao goleiro russo, conhecido como “Aranha Negra” e eleito diversas vezes como o melhor goleiro de todos os tempos.

Copa Euro-América (1991 e 1996)

É uma raridade, pois surgiu da união entre Uefa e Conmebol, algo que deveria ser mais frequente no futebol. Na primeira vez em que foi campeão, o Palmeiras bateu dois times alemães, Stuttgart e Hamburgo. Em 96, os adversários eram Flamengo e Borussia Dortmund.

Trofeu Naranja (1997)

Acho que esqueceram de avisar para o Roque Junior que era só um torneio amistoso
Acho que esqueceram de avisar para o Roque Junior que era só um torneio amistoso

É um torneio tradicional organizado pelo Valencia, da Espanha, que teve uma curiosidade nesta edição: Palmeiras, Flamengo e Valencia venceram um jogo e perderam outro. O desempate aconteceu por uma curiosidade do regulamento: todos os jogos tinham disputa por pênaltis, mesmo se não houvesse empate. O Palmeiras levou a melhor nas cobranças e por isso foi campeão.

Taça Valle d’Aosta (1999)

É a maior goleada da história do Palmeiras: 15 a 0. Um time recheado de astros (a base campeã da Libertadores no mesmo ano) enfrentou uma equipe semi-amadora, de uma região autônoma da Itália, e o resultado não poderia ser muito diferente mesmo. E olha que nenhum jogador fez mais do que 3 gols!

Trofeu Osvaldo Brandão (2009)

Em homenagem ao grande técnico que foi campeão por Palmeiras e Corinthians, os times criaram uma taça disputada de forma diferente: quem vencesse mais jogos em um espaço de cinco clássicos ficaria com ela. Após três vitórias, o time alviverde ficou com o título.

palmeiras osvaldo

O Palmeiras levou a Taça Osvaldo Brandão por causa de 3 gols de Obina no clássico

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...