15 de Novembro é dia de festa para 24 clubes do Brasil; conheça aniversariantes

0 296

O 15 de novembro é um dia de muita comemoração no futebol brasileiro. Não que marque o aniversário de alguma conquista histórica da Seleção Brasileira, ou de algum grande craque. Na verdade, a data de Proclamação da República é a data também de fundação de muitos clubes do País. De ao menos 24 deles, na verdade.

O número é resultado de uma pesquisa pessoal feita há alguns anos. Aliás, o 15 de novembro seria a segunda data com mais fundação de clubes no Brasil, atrás apenas do 1º de janeiro. Não por acaso, a importância cívica do dia de hoje acabou servindo de mote para o batizado de alguns dos clubes fundados no dia.

Os casos mais emblemáticos são o do XV de Piracicaba e o do XV de Jaú, que adotam o mesmo nome oficial: Esporte Clube XV de Novembro. O primeiro completa 100 anos nesta sexta-feira, e tem o aniversário mais pomposo dentre os clubes que festejam nesta sexta-feira – ao menos em 2013. Já o time de Jaú faz homenagem ao País também nas cores, adotando o verde e o amarelo em seu distintivo e em seus uniformes.

Para destacar o centenário do XV de Piracicaba e os outros 23 aniversariantes desta sexta-feira no Brasil, o blog reuniu uma pequena lista, contando a situação de cada um dos times que festejam no dia da Proclamação da República – e pede desculpas de antemão caso alguma das informações esteja incorreta. Confira abaixo:

1899: Clube Internacional de Cricket (BA)

Fundado para a prática do críquete (ah, vá!) em Salvador, foi o primeiro campeão baiano da história, em 1905. No entanto, entrou em decadência no início do século XX e se extinguiu. Estaria completando 114 anos.

1908: Barra Mansa FC (RJ)

O clube se profissionalizou em 1911, chegando a conquistar o antigo Campeonato Fluminense em 1953 – o torneio teve duas edições no mesmo ano, e os barra-mansenses levaram ambas. Ainda em atividade aos 105 anos, o time não disputou competições profissionais em 2013.

1911: 15 de Campo Bom (RS)

O time foi a sensação do interior gaúcho na primeira metade da última década, conquistando três vezes o vice-campeonato gaúcho (2002, 2003 e2005), além de alcançar as semifinais da Copa do Brasil (2004) – período na qual se destacou o técnico Mano Menezes. Depois de se afastar do profissionalismo em 2009, retornou em 2013 à Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho (a rigor, a terceira divisão do RS). Completa 102 anos nesta sexta-feira.

1913: XV de Piracicaba (SP)

Talvez o clube mais conhecido a trazer a data da Proclamação da República em seu nome, o Nhô Quim completa cem anos com motivo para comemorar. Depois de alguns anos patinando na Série A3 do Campeonato Paulista, conseguiu o acesso à Série A2 em 2010 e para a Série A1 no ano seguinte. Campeão da Série C do Campeonato Brasileiro de 1995, o XV já divulgou seu calendário de festas pelo centenário – clique aqui e confira.

1924: Jabaquara (SP)

O clube da colônia espanhola de Santos completa 89 anos esquecido na quarta divisão do Campeonato Paulista – muito pouco para um dos clubes que fundaram a Federação Paulista de Futebol. Coincidente, em 2013, o Jabuca completa 50 anos longe da primeira divisão estadual.

1924: XV de Jaú (SP)

O Galo da Comarca completa 89 em péssimo momento. Depois de esboçar um resgate histórico, o time foi rebaixado da Série A2 do Campeonato Paulista em 2008. Hoje, a torcida que frequenta o Estádio Zezinho Magalhães acompanha apenas as partidas da quarta divisão do Campeonato Paulista.

1938: Íbis (PE)

Sim, até os piores do mundo têm motivos para comemorar. Dono de campanhas históricas nos Campeonatos Pernambucanos da década de 80 (entre 1981 e 1983, foram 24 jogos, contabilizando um empate e 23 derrotas no período). o Íbis disputa atualmente a Série A2 do Campeonato Pernambucano. Em 2013, as vitórias até vieram, mas não foram suficientes para levar o Pássaro Preto – que completa 75 anos – além da segunda fase da competição.

1945: Metropol (SC)

O clube de Criciúma dominou o futebol de Santa Catarina na década de 60, conquistando o título em cinco ocasiões (1960, 1961, 1962, 1967 e 1969) antes de fechar o departamento de futebol profissional em 1969. Hoje, aos 68 anos, o time joga apenas competições amadoras, embora seu retorno aos torneios oficiais seja especulado com frequência.

1954: Santa Cruz (PE)

Fundado na cidade de Carpina há 59 anos, o Santa Cruz Futebol Clube jamais disputou a primeira divisão do Campeonato Pernambucano. O Tricolor Carpinense chegou a se licenciar do futebol, mas retornou em 2005 – antes de se afastar novamente. Nos últimos anos, a cidade teve apenas representantes na Série A2 de PE, como Carpina, Atlético Pernambucano e Carpinense.

1954: Zumbi (AL)

Batizado em homenagem a Zumbi dos Palmares, principal líder quilombola do Brasil Colônia, o Zumbi Esporte Clube foi vice-campeão da segunda divisão do Campeonato Alagoano em 1995, disputando a elite local no ano seguinte. Foi rebaixado, mas esteve de novo na primeira divisão em 1998 e 1999. Hoje, aos 59 anos, está licenciado.

1955: Flamengo (RO)

O Clube de Regatas Flamengo foi uma potência do Campeonato Rondoniense até a profissionalização do torneio, em 1991 – ao todo, o clube rubro-negro conquistou dez títulos estaduais como amador (1956, 1960, 1961, 1962, 1965, 1966, 1967, 1982, 1983 e 1985). Licenciado desde então, o time de Porto Velho, que completa 58 anos nesta sexta-feira, ainda é o segundo mais vitorioso de RO, atrás apenas do também licenciado Ferroviário (17).

1956: Glória de Vacaria (RS)

O Glória chegou a conquistar posições de destaque no Campeonato Gaúcho da última década, mas perdeu espaço – atualmente, disputa a Divisão de Acesso, equivalente à segunda divisão do RS. A equipe completa 57 anos.

1961: Fernandópolis (SP)

Fundado há 52 anos como Associação Bancária de Esportes, o Fernandópolis – ou Fefecê para os íntimos – é figura frequente na quarta divisão do Campeonato Paulista. Em 2013, o time foi até a segunda fase, na qual foi eliminada.

1964: União Bandeirante (PR)

O time de Bandeirantes, conhecido como o Caçula Milionário, ficou com o vice-campeonato no Paraná em cinco ocasiões: 1966, 1969, 1971, 1989 e 1992. Foi desativado em 2006, e não tem quaisquer perspectivas de retornar. Completa(ria) 49 anos.

1969: Cristal (AP)

Campeão amapaense de 2008, está afastado dos gramados desde 2010. No currículo, o time tem ainda dois títulos da segunda divisão do Amapá (1988 e 2005). Completa 44 anos.

1975: Gama (DF)

Poucos clubes conheceram tão profundamente a “gangorra” do futebol brasileiro ao longo da história quanto o Gama. Em seus 38 anos, o clube do DF viveu a quase falência nos anos 80, a chegada à Série A do Campeonato Brasileiro no fim da década de 90 e a queda ao ostracismo. Em 2013, foi quarto no Campeonato Brasiliense e ficou fora da Série D.

1978: Americano (MA)

Em seus 35 anos, o clube de Bacabal teve como principal momento o vice-campeonato da segunda divisão do Campeonato Maranhense de 2012. Em 2013, porém, foi o último colocado dentre os nove que disputaram a primeira divisão local.

1981: Genus (RO)

Mesmo sendo um dos principais clubes do futebol do Rondônia, o Genus ainda aguarda por sue primeiro título em 32 anos como profissional. Em 2013, a equipe de Porto Velho chegou às semifinais do Campeonato Rondoniense, mas caiu diante do campeão Vilhena.

1984: Barras (PI)

O clube tem apenas 29 anos e é relativamente novo para os padrões brasileiros. No entanto, surpreendeu em 2007 ao chegar à última fase da Série C do Campeonato Brasileiro, ficando então com a sétima posição da competição. Campeão piauiense de 2008, chegou a ficar fora das competições – retornou em 2013, mas foi apenas o penúltimo dentre os oito times do torneio estadual.

1984: Sport Boa Vista (PE)

Atualmente licenciado, o clube de Santa Maria da Boa Vista completa 29 anos nesta sexta-feira. O Boa Vista atende pelo simpático apelido de Jumento e foi figura constante na segunda divisão do Campeonato Pernambucano na última década. Licenciou-se em 2006.

Fundado em homenagem ao time homônimo da Galícia, o La Coruña carioca só estreou entre os profissionais em 2003. Nesta atual temporada, na qual completou 19 anos, o clube da Pavuna foi discreto e acabou eliminado ainda na primeira fase da Série C do Campeonato Carioca, com duas vitórias em dez jogos. É um das poucas equipes do Brasil presididos por uma mulher – no caso, Maria Geralda dos Santos.

1995: Aliança (AP)

Chegando à maioridade, o clube amapaense completa 18 anos em 2013. A equipe da cidade de Santana viveu seus melhores dias no fim da década de 90, com um título estadual (1998) e um vice (1999). Atualmente, porém, encontra-se licenciado.

2003: Queimadense (PB)

A equipe da cidade de Queimadas completa 10 anos de fundação, embora só tenha se profissionalizado em 2007. No mesmo ano, conquistou seu único título: o da segunda divisão do Campeonato Paraibano. Disputou a primeira divisão da PB entre 2008 e 2010, e depois do afastamento em 2011 e 2012, voltou à segunda divisão em 2013, terminando em terceiro lugar.

E aí? Faltou algum clube?

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...