15 “craques” improváveis da Copa das Copas

0 218

A Copa das Copas foi marcada pelo inesperado. Mesmo entre tantas seleções fortes e craques consagrados, houve espaço para grandes surpresas e duelos alternativos. Dentro desse cenário, foi natural o surgimento de “craques” improváveis no Mundial do Brasil.

Eles estavam em seleções pouco badaladas e não eram reconhecidos mundialmente, pois jogam em times da Hungria, Búlgaria, México, Rússia, Holanda… Mesmo assim, conseguiram brilhar até as quartas de final. É uma pena que nenhuma seleção alternativa tenha alcançado as semifinais, mas isso não impediu o Última Divisão de listar os 15 “craques” improváveis. Com uma ressalva: no máximo foram escalados três jogadores por seleção, caso contrário entrariam os 11 da Costa Rica. :)

15º Besic (BOS)

O volante da nossa querida Bósnia e Herzegovina teve uma missão difícil logo no primeiro jogo: marcar Messi de perto no duelo contra a Argentina. Não foi possível pará-lo totalmente, já que ele fez um gol. Mas mesmo assim Besic se destacou a ponto de virar memes, que ironizavam a perseguição do bósnio ao argentino, algo sensacional para um jogador do Ferencváros, da Hungria.

Besic perseguiu Messi até virar meme
Besic perseguiu Messi até virar meme

14º Aurier (CDM)

Com uma geração tão talentosa quanto pipoqueira, mais uma vez a Costa do Marfim decepcionou. O que consola é que alguns jovens foram destaques do time, como Aurier. Aliás, o lateral direito foi um dos melhores dessa posição na Copa. Tanto que Arsenal e Tottenham já estão na briga para contratar o jogador do Toulouse.

13º Sokratis Papastathopoulos (GRE)

É preciso reconhecer o talento defensivo da Grécia. Não é um futebol bonito para ver, claro, mas é muito eficiente e competitivo. E isso acontece em grande parte por causa de Sokratis, líder natural dessa defesa tão forte. Zagueiro do Borussia Dortmund, ele fez uma boa Copa e merece elogios.

12º Slimani (ARG)

A Argélia enfim provou que não pode ser uma seleção menosprezada no nível internacional, mesmo com poucos jogadores conhecidos. O atacante Slimani, que por enquanto está no Sporting (já surgiram propostas para tirá-lo de lá), era um desses desconhecidos, mas conseguiu jogar bem e até ser decisivo – fez o gol que decretou o empate com a Rússia e classificou a Argélia para as oitavas.

11º Perisic (CRO)

A Croácia decepcionou e nem passou da fase de grupos, principalmente porque seus protagonistas, Modric, Rakitic e Mandzukic foram mal. Mas um coadjuvante chamou a responsabilidade e fez o que pode. O atacante do Wolfsburg deu assistência, marcou gol e lutou, mas não foi suficiente.

10º Reza Ghoochannejhad (IRA)

O Irã mostrou ser um dos times mais limitados da Copa, mas conseguiu um grande feito: com uma retranca bem armada pelo técnico Carlos Queiroz, chegou no último jogo da fase de grupos com chances de classificação. Dentro desse contexto, era difícil um atacante se destacar, mas Reza conseguiu. Mostrou técnica e atrapalhou tanto defensores quanto os narradores dos jogos. Atualmente está no Charlton, da Inglaterra.

9º Enner Valencia (EQU)

Quando analisavam o Equador, sempre citavam Valencia. Mas era o Antonio, do Manchester United. O Enner só se destacou durante a competição, em que fez todos gols da seleção – três, ao todo. Atualmente ele joga no futebol mexicano, mas está de malas prontas para ir para o futebol europeu.

8º Fabian Johnson (EUA)

Se agora os americanos gostam ainda mais de “soccer”, um dos motivos é Johnson. Talvez o melhor lateral direito da Copa, ele surpreendeu com incrível regularidade, pois foi bem em todos jogos. O time americano era forte no conjunto, tinha poucos destaques individuais, mas com certeza o jogador do Borussia Mönchengladbach foi um deles.

“É bom esse lateral ali”, comentou Obama

7º M’Bolhi (ALG)

A Argélia fez seu melhor jogo contra a Alemanha, mas isso só foi possível porque o goleiro M’Bolhi trabalhou bem demais. Além disso, na fase de grupos ele já tinha sido fundamental para fechar a boa defesa argelina. Foi até estranho descobrir que ele joga no futebol búlgaro, no CSKA Sofia, pois pareceu ter qualidades para atuar em um nível mais alto.

6º Joel Campbell (CRC)

Em um time que jogava no 5-4-1, parecia improvável que um atacante tão jovem e inexperiente desse conta de jogar isolado na frente. Mas Campbell mostrou que tem muitos recursos para fazer isso e muito mais. Ele foi uma das chaves para fazer a Costa Rica surpreender no grupo da morte. O Arsenal devia aproveitá-lo melhor, sem empréstimos a partir de agora.

5º Musa (NIG)

Quando todos esperavam ver Messi, apareceu Musa. Ele fez os dois gols da Nigéria no jogo duro contra a Argentina, em que o astro do Barcelona acabou brilhando também no fim. Mas a partida serviu para coroar a brilhante participação de Musa, um atacante habilidoso, de apenas 21 anos, que estava “escondido” no CSKA Moscou.

4º Samaras (GRE)

Não há melhor definição: “Samaras é o melhor grosso do mundo”. De fato o grego é desengonçado, mas vê-lo jogar é curioso, porque ele sempre mostra alguma técnica surpreendente. Jogou de ponta e de centroavante, sempre sendo o maior destaque de uma Grécia surpreendente. É grosso, mas é bom.

Samaras homenageia Platão
Samaras homenageia Platão

3º Kevin De Bruyne (BEL)

Apesar de não ter sido uma seleção ótima, a Bélgica mostrou que tem sim uma ótima geração. Alguns destaques decepcionaram, como Eden Hazard, mas outros surpreenderam. O bom futebol de De Bruyne enfim foi exibido mundialmente, já que ele teve atuações sólidas, especialmente contra os Estados Unidos, nas oitavas de final. Parece que o Wolfsburg realmente fez um ótimo negócio ao contratá-lo em janeiro.

2º Bryan Ruiz (CRC)

Foi impressionante ver a versatilidade e a dedicação de Ruiz na Costa Rica. Ele armava as jogadas, aparecia na área como atacante e voltava para marcar, sempre com muita intensidade. Ele estava emprestada ao PSV, mas pertence ao Fulham e mostrou que tem qualidade para ficar na Premier League. Bastar ver nesse vídeo o que ele fez contra a Inglaterra:

1º Keylor Navas (CRC)

Ele já tinha sido eleito o melhor goleiro do Campeonato Espanhol, mas mesmo assim poucos o conheciam. Na Copa, provou porque ganhou esse prêmio e assim foi decisivo para a Costa Rica aguentar a pressão contra as grandes seleções que enfrentou. Foi herói inclusive na disputa por pênaltis contra a Grécia. Agora Navas deve sair do Levante e acertar com Porto, Atlético de Madrid ou até Bayern de Munique.

Neuer, Howard, Courtois, Júlio César, Ochoa... Sobraram grandes goleiros nessa Copa. Mas o melhor vem da Costa Rica
Neuer, Howard, Courtois, Júlio César, Ochoa… Sobraram grandes goleiros nessa Copa. Mas o melhor vem da Costa Rica
Você pode gostar também
Comentários
Carregando...