10+ Última Divisão: os jogos que marcaram o ano de 2019

191

A grande fase de Flamengo e Liverpool renderam grandes jogos ao longo de 2019, mas obviamente não esquecemos de outras grandes histórias que o último ano nos reservou. Tanto é verdade que neste 10+ tivemos vários empates técnicos, o que nos obrigou — excepcionalmente — a listar as 11 melhores partidas que marcaram 2019.

Relembre as edições anteriores dos 10+:
2014 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores
2015 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores
2016 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores
2017 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores
2018 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores

Deixando claro que a seleção das melhores histórias é feita pelo nosso critério – ou seja, situações marcantes pelo improvável, seja porque um time pequeno e seus atletas surpreenderam, ou mesmo quando integrantes do mainstream futebolístico proporcionam um momento ímpar (seja por superação de alguém, por ser um grande vexame, etc.).

Para começar, uma breve explicação de como o prêmio funciona:

REGULAMENTO

O regulamento, apenas para reforçar, é o mesmo dos anos anteriores. Em um BRAINSTORM, nossa equipe listou 30 partidas, 30 jogadores e 30 times que marcaram o ano. Desta lista, enviamos um formulário para os seletos eleitores, que deram a cada “candidato” uma nota de 1 a 5, sendo 1 o menos marcante e 5 o mais marcante. Com a divisão de notas totais pelo número de eleitores, fizemos a média para apontar os 10 mais marcantes em cada categoria.

Por fim, deixamos aqui nosso agradecimento aos convidados que tiveram a paciência de votar na eleição de 2019. A atenção de vocês é uma grande recompensa ao nosso trabalho.


10+ ÚLTIMA DIVISÃO
OS JOGOS QUE MARCARAM O ANO DE 2019

 

10. Independiente del Valle 3 x 1 Colón (09.11.2019): nota 3,6956

Após baterem Corinthians e Atlético-MG nas semifinais, Del Valle e Colón fizeram uma final atípica em Assunção, no Paraguai. Ainda na primeira etapa (que foi interrompida por quase uma hora por conta da chuva), o time equatoriano já vencia por 2 a 0. Os argentinos ainda tiveram a chance de diminuir no começo da segunda etapa por conta de um pênalti, mas o goleiro Pinos fez grande defesa. Só aos 43 minutos o Colón marcou e botou fogo na partida, mas Dájome ampliou para o Del Valle e sacramentou o título inédito para os equatorianos.

 

10. Brasil 3 x 2 França [sub-17] (14.11.2019): nota 3,6956

Semifinal de um Mundial no Brasil contra um adversário europeu? Parecia ser um mau presságio para a seleção sub-17, que pegaria a França em uma espécie de final antecipada. O pesadelo parecia real quando aos 13 minutos de jogo os franceses já ganhavam por 2 a 0. Porém, o selecionado verde-amarelo não se abateu e foi em busca do empate, que só veio a ocorrer aos 30 minutos da segunda etapa. Até que aos 43 minutos do segundo tempo, Lázaro fez um belo gol, virou o jogo e colocou o Brasil na final, rumo ao tetracampeonato.

Alexandre Loureiro/CBF

9. Barcelona 2 x 0 Atlético de Madri [Feminino] (17.03.2019): nota 3,8260

O futebol feminino já é uma realidade. Prova disso foi a partida entre Barcelona e Atlético de Madri pelo Campeonato Espanhol feminino. Nada menos que 60.739 pessoas lotaram o Wanda Metropolitano para ver o Barça de Andressa Alves derrotar o Atlético de Ludmilla. Assim, o mundo viu cair um recorde que durava quase 100 anos: o maior público de um jogo de futebol feminino entre clubes. O recorde anterior foi de 53 mil pessoas que assistiram ao Dick, Kerr’s Ladies e o Helen’s Ladies no Boxing Day de 1920.

Kiko Huesca/ EFE

 

7. Flamengo 4 x 4 Vasco da Gama (13.11.2019): nota 3,8695

Pelo Brasileirão, Flamengo e Vasco fizeram um clássico no Maracanã que há tempos não víamos. Logo aos 37 segundos, o Rubro Negro abriu o placar com Everton Ribeiro. Porém, o Vasco foi para cima e conseguiu a virada: aos 33 minutos com Marrony e aos 36 minutos com Pikachu de pênalti. Em resposta, o Flamengo foi ao ataque e arrancou o empate com um gol contra de Danilo Barcelos. Na segunda etapa, o Vasco ampliou com Marcos Júnior, mas então brilhou a estrela de Bruno Henrique, que marcou dois e virou o jogo. Até que, já nos acréscimos, Ribamar subiu mais que todo mundo e empatou a partida. Resultado final: 8 gols, duas viradas e 11 cartões! Enquanto isso, a Globo passava o filme Vai que Cola.

Thiago Ribeiro/AGIF

 

7. São Paulo 0 x 0 Talleres [Agregado: 0 x 2] (13.02.2019): nota 3,8695

O retorno do São Paulo à Copa Libertadores (ausente desde 2016) não foi exatamente como o torcedor imaginava. Estreando na segunda fase do torneio, o Tricolor do Morumbi precisava reverter uma derrota de 2 a 0 contra o Talleres de Córdoba, mas sequer deu perigo ao gol argentino: em 90 minutos, foram apenas 2 chutes a gol. Um vexame comparável ao da eliminação do Corinthians para o Tolima em 2011. Com isso, o técnico André Jardine acabou demitido. Já o Talleres acabou caindo na fase seguinte diante do Palestino, do Chile.

Djalma Vassão/Gazeta Press

 

6. Náutico 2 x 2 Paysandu [Pênaltis:5 x 3] (08.09.2019): nota 4

A mística do estádio dos Aflitos parece estar viva como nunca. Em seu primeiro ano de volta à antiga casa, o Timbu fez uma partida histórica contra o Paysandu pelas quartas de final da Série C. Perdendo por 2 a 0 até o começo do segundo tempo, o Náutico pressionou os visitantes em busca de um empate para levar aos pênaltis. Conseguiu, mas em um lance polêmico em que só o juiz Leandro Vuaden viu infração e marcou a penalidade máxima. Após o fim do tempo normal, quem brilhou foi o goleiro Jefferson, que se agigantou e pegou uma das cobranças. Com o acesso garantido para a Série B, a torcida foi ao delírio e fez uma verdadeira festa dentro de campo.

 

4. Cruzeiro 0 x 2 Palmeiras (08.12.2019): nota 4,1304

O ano da Raposa foi cheio de contrastes: o clube foi campeão mineiro, semifinalista da Copa do Brasil, foi líder de seu grupo na Libertadores da América e ainda assim conseguiu ficar entre os últimos do Brasileirão. Uma das explicações é a péssima administração do clube, que veio à tona após uma denúncia no Fantástico de um esquema envolvendo dirigentes e empresas de fachada. A crise mexeu no time, que ficou 11 jogos sem vencer e viu seus técnicos caírem um a um: Mano Menezes, Rogério Ceni e Abel Braga. Restou a Adilson Batista segurar o rojão, que finalmente explodiu no jogo contra o Palmeiras em pleno Mineirão. O Verdão, que não tinha nada com isso, fez sua parte e venceu. A torcida indignada com a situação promoveu uma quebradeira dentro e fora do estádio antes mesmo do apito final. A Série B de 2020 ganha um participante inédito.

Getty Images

 

4. Grêmio 4 x 5 Fluminense (05.05.2019): nota 4,1304

Pelo Campeonato Brasileiro, o Grêmio de Renato Gaúcho estava passando o trator em cima do Fluminense de Fernando Diniz: foram três gols em menos de 20 minutos. Parecia mais uma ótimo resultado em casa, até que, antes do intervalo, o Tricolor das Laranjeiras iniciou a reação e marcou dois gols em dois minutos — o segundo deles em uma falha bizarra do goleiro Júlio César. Na segunda etapa, o Flu voltou melhor e conseguiu uma incrível virada com Matheus Ferraz e Pedro. O Grêmio lutou e conseguiu o empate com Kannemann. Só que, aos 47 minutos, Yony González marcou para o Flu e foi o herói da virada mais impressionante do torneio.

Lucas Merçon/ Fluminense F.C.

 

3. Flamengo 2 x 1 River Plate (23.11.2019): nota 4,4347

Após décadas amargando resultados pífios na Libertadores da América, em 2019 o Flamengo enfim conseguiu a redenção. E foi de um jeito inédito: justamente na primeira final em jogo único do torneio, onde qualquer erro é capaz de decidir o campeão. E foi assim que o Flamengo de Jorge Jesus conseguiu a façanha de estar perdendo até os 43 minutos do segundo tempo e ainda assim levantar a aguardada taça. Em três minutos, Gabigol resolveu a parada e colocou seu nome na história do Flamengo.

 

2. Liverpool 4 x 0 Barcelona (07.05.2019): nota 4,5217

O time de Jürgen Klopp tinha uma missão ingrata na semifinal da UEFA Champions League 2018-2019: precisava reverter a derrota de 3 a 0 em cima do Barcelona de Messi, Suárez e Philippe Coutinho. Para piorar, não contaria com sua dupla de ataque Salah e Firmino. Parecia impossível, mas não para Klopp. O treinador do Reds colocou o time no ataque e foi arrancando gols. Origi abriu a porteira logo no começo do jogo. No segundo tempo, Wijnaldum empatou com dois gols relâmpagos. E, faltando poucos minutos para o apito final, Origi marcou de novo e fez Anfield vir abaixo em uma virada heroica.

Getty Images

 

1. Ajax 2 x 3 Tottenham (08.05.2019): nota 4,6521

Na outra semifinal da UEFA Champions League, a sensação Ajax era o sinônimo de tranquilidade. Após vencer por 1 a 0 o jogo da ida em Londres, os holandeses foram para o intervalo administrando um confortável 2 a 0 dentro de casa. Só que eles não esperavam que Lucas Moura faria provavelmente os melhores 45 minutos de sua carreira: marcou três, fez o hat-trick e garantiu a inédita vaga do Tottenham em uma final de Champions League. O último gol, marcado aos 50 minutos do segundo tempo, fez a Johan Cruijff Arena calar.

Matthew Childs/Reuters

 

Quem votou

Alexandre Senechal (Placar), Arthur Chrispin (escritor), Bruno Figueiredo (jornalista), Bruno Guedes (Agência EFE), Cirilo Júnior (TV Globo), Cristiano Silva (Rádio Guaíba), Diego Freire (Última Divisão), Emanuel Colombari (Uol), Fernando Duarte (BBC), Igor Nishikiori (Última Divisão), João Almeida (Linha de Fundo), José Edgar de Matos (Uol), Leandro Santiago (InterTV Alto Litoral), Leandro Stein (Trivela), Leonardo Bonassoli (Futebol Metrópole), Luis André Rosa (Agora São Paulo), Menon (Uol), Napoleão de Almeida (Bandsports), Rafael Luis Azevedo (Verminosos por Futebol), Ricardo Helcias (Veja.com), Rodrigo Gasparini (Rádio Cruzeiro FM), Stevan Camargo (jornalista) e William Correia (Lance!).

Veja também: As melhores equipes de 2019


Conheça os outros 20 jogos indicados em 2019:

Índia 4 x 1 Tailândia –Apesar de todos os investimentos feitos nos últimos anos, a Índia ainda patina no futebol. Esse cenário deu uma leve mudada em 2019. Disputando pela 4ª vez a Copa da Ásia, a seleção indiana surpreendeu ao golear a Tailândia por 4 a 1, no que foi sua primeira vitória na competição desde que foi vice-campeã em 1964. Só que a boa fase parou por aí: a Índia acabou derrotada nos dois jogos seguintes e foi eliminada do torneio.

Catar 3 x 1 Japão – Em meio a tensões com seus vizinhos (dentre eles o anfitrião Emirados Árabes), o Catar foi à Copa da Ásia mostrar que o projeto 2022 é para valer. Após campanhas apagadas nos últimos torneios, o selecionado catari foi derrubando gigantes pelo caminho, como Arábia Saudita e Coreia do Sul, e ainda passou pelos donos da casa nas semifinais. Na final, não tomou conhecimento do Japão e se sagrou campeão inédito do torneio. O mais impressionante da campanha foi a segurança da defesa: tomou apenas 1 gol em 7 jogos.

Ituano 5 x 1 Santos –O técnico argentino Jorge Sampaoli calou os críticos com um ótimo início de trabalho no Santos. Logo de cara foram 4 vitórias em 4 jogos e saldo de 10 gols. Porém, na quinta rodada do Paulistão, o Peixe encarou o Ituano e sofreu uma goleada pra lá de humilhante. O detalhe sórdido foi que o time de Itu sequer dominou o jogo: foram apenas 6 chutes a gol e 22% de posse de bola. Mesmo assim, o Galo deu um baile no estádio Novelli Júnior, com direito a gritos de olé da torcida.

Serra 1 x 0 Remo – Desde que o Linhares surpreendeu ao chegar na semifinal da Copa do Brasil de 1994, o futebol capixaba não tinha uma vitória na competição. Em 2019, esse incômodo jejum enfim foi derrubado. Pela primeira fase do torneio, o Serra recebeu o Remo no estádio Robertão. No segundo tempo, com um jogador a mais em campo, o time da casa fez valer a vantagem e abriu o placar com Rael. Apesar da pressão remista, o Serra segurou o resultado e, assim, garantiu o primeiro triunfo capixaba em 24 anos.

São Caetano 4 x 4 Bragantino – O Azulão acabou rebaixado no Paulistão 2019, mas mostrou que tinha futebol para mais do que isso. Em um jogo sob muita chuva no Anacleto Campanela, o Bragantino chegou a abrir 3 a 0 ainda no primeiro tempo e foi para o intervalo vencendo por 4 a 1. Já o São Caetano, que teve o goleiro Douglas expulso ainda na etapa inicial, entrou ligado no segundo tempo, foi para cima do Massa Bruta e arrancou um empate de forma heroica faltando quatro minutos para o fim da partida.

Cuneo 20 x 0 Pro Piacenza – Pela Série C italiana, o Pro Piacenza celebrou seu centenário de forma trágica. Convivendo com dificuldades financeiras há anos, em 2019 veio o golpe de misericórdia: entrou em campo com apenas sete jogadores, sendo todos jovens da categoria de bases mais o roupeiro, para não ser excluído da competição. O resultado foi uma goleada de 20 a 0 do Cuneo. Antes desse vexame histórico, o clube já vinha de três WO por conta de uma greve do elenco por falta de pagamentos. Apesar de todo o esforço, o Pro Piacenza acabou excluído da competição no dia seguinte.

Corinthians 4 x 2 Avenida-RS – Em jogo válido pela segunda fase da Copa do Brasil, o Avenida de Santa Cruz do Sul (RS) ficou muito perto de protagonizar uma das grandes zebras do ano. Disputando um torneio nacional pela primeira vez na história, o clube de Santa Cruz do Sul também estreava em jogos fora de seu estado. E que estreia: com dez minutos de jogo, o Avenida vencia o Corinthians por 2 a 0 em pleno Itaquerão. O Timão até se recuperou do baque, mas o empate só veio aos 31 minutos do segundo tempo, com Danilo Avelar. Com isso, os visitantes sentiram o golpe e os corintianos conseguiram marcar mais dois, conquistando a classificação.

Aparecidense 2 x 0 Ponte Preta – Após 50 dias de disputas judiciais, Aparecidense e Ponte enfim voltaram a campo para definir quem seguiria para a segunda fase da Copa do Brasil. O imbróglio começou em fevereiro, quando o time goiano bateu a Macaca por 1 a 0. Porém, a Ponte alegou que um possível gol de empate no fim do jogo foi anulado por conta de uma interferência externa. O STJD considerou a ação procedente e o resultado foi cancelado. Então, seguiu-se uma longa batalha nos tribunais, resolvida somente em abril. No fim das contas, a Aparecidense venceu novamente e seguiu na competição.

Hienghène Sport 1 x 0 Magenta – Após anos de presença ininterrupta de clubes neozelandeses na final, a edição 2019 da OFC Champions League teve um desfecho bem alternativo, com dois clubes da Nova Caledônia disputando o título após baterem Team Wellington e Auckland City nas semifinais. A partida ainda contou com um gol épico: aproveitando uma bobeada do Magenta, Antoine Roiné (que tinha acabado de entrar) deu um chutaço do meio de campo e marcou um golaço. Com isso, o pequeno arquipélago do Pacífico se classificou para o Mundial de Clubes e fez sua estreia em um torneio da Fifa (excluindo campeonatos de base).

EUA 13 x 0 Tailândia [Feminino] – Diante da estreante seleção tailandesa, era esperado que as norte-americanas venceriam com certa facilidade no confronto válido pela primeira fase da Copa do Mundo feminina. Mas poucos imaginavam a elasticidade do placar: 13 a 0, a maior goleada da história das Copas do Mundo (tanto masculina quanto feminina). Só Alex Morgan balançou as redes cinco vezes. Já a Tailândia, que é 100% bancada por uma empresária milionária e não tem nenhum apoio da federação local, restou celebrar o primeiro gol em um Mundial em cima da Suécia no jogo seguinte.

Madagascar 2 x 0 Nigéria – Em sua estreia na Copa Africana de Nações, a seleção de Madagascar fez uma campanha digna de filme. Após garantir sua primeira vitória contra o também estreante Burundi, enfrentou a gigante Nigéria na última rodada da fase de grupos. Os nigerianos pareciam confortáveis com a classificação antecipada e não deram para o cheiro: 2 a 0 para a seleção malgaxe, com direito a drible humilhante no goleirão. Na fase final, Madagascar ainda passou pela República Democrática do Congo e só parou diante da Tunísia nas quartas de final.

Peru 3 x 0 Chile – A trajetória da seleção peruana na Copa América foi no mínimo curiosa. Na fase de grupos tomou uma goleada do Brasil e ficou atrás da Venezuela, classificando entre os melhores terceiros colocados. Mas na fase final, a equipe comandada por Ricardo Gareca sofreu uma reviravolta: bateu o favorito Uruguai nos pênaltis e não deu chances ao Chile, então campeão do torneio, e botou La Roja para dançar. O passeio ainda consolidou Paolo Guerrero como o maior artilheiro da competição ainda em atividade.

Manaus 2 x 2 Brusque (Pênaltis: 5 x 6) – Pela Série D, o Manaus já tinha o que comemorar: era o primeiro clube do estado a subir para a Série C no formato atual. E faltou apenas um chute para levar o título histórico ao Amazonas. Após um novo empate em 2 a 2, a final foi para os pênaltis. E justamente na primeira cobrança das alternadas veio o chute para fora do Manaus. Brusque fez a festa em uma Arena Amazônia lotada (a partida teve recorde histórico de público, com quase 45 mil pessoas). Ficou um ineditismo curioso: pela primeira vez uma mulher apitou uma decisão de campeonato brasileiro.

Figueirense 0 x 3 Bragantino – Há momentos em que uma derrota pode ser celebrada como uma vitória. Foi o que aconteceu com o Figueirense em 2019. Em dois anos de parceria com a empresa Elephant, o clube viveu uma das piores crises em seus quase 100 anos. Atraso de salários, greve de jogadores e até WO colocaram o Figueira na lanterna da Série B 2019, sob sério risco de rebaixamento. A situação insustentável só foi revertida em setembro, quando o contrato com a Elephant foi rescindido e o Furacão voltou a tomar as rédeas de seu futebol. No jogo seguinte, contra o líder Bragantino, o torcedor alvinegro atendeu ao chamado e fez uma bonita festa no Orlando Scarpelli para celebrar esse duro recomeço.

Colchester United 0 X 0 Tottenham (Pênaltis: 4 x 3) – Após uma temporada dos sonhos em 2018-2019, agora o Tottenham parece estar vivendo uma ressaca sem fim. Prova disso foi o vexame histórico na Copa da Liga Inglesa (a EFL Cup) na qual o time de Mauricio Pochettino caiu diante do Colchester United, que atualmente joga a quarta divisão. O Tottenham entrou a campo com um time misto, mas com estrelas como Lucas, Delle Ali e Son. Porém, o Colchester se fechou como pode e conseguiu levar a decisão para as penalidades. Foi então que Eriksen e Lucas Moura erraram suas cobranças e proporcionaram uma zebraça em campos ingleses.

Flamengo 56 x 0 Greminho [Feminino] – A equipe feminina do Flamengo foi campeã do Carioca 2019, mas a história que chamou atenção foi a do Greminho. Tocado por um motorista particular que também acumula função de técnico, o clube do bairro de Cosmos treina em uma praça pública e não recebe dinheiro de patrocinadores nem da federação carioca. As jogadores são todas amadoras e jogam apenas por amor ao futebol. Por isso, a goleada histórica expôs a falta de critério da FERJ ao montar a tabela do torneio feminino.

Irã 14 x 0 Camboja – Mais do que a goleada da seleção da casa nas eliminatórias da AFC, o que marcou a partida foi a presença de torcedoras iranianas nas arquibancadas pela primeira vez em 40 anos. A liberação não veio por acaso: ocorreu após a morte de Sahar Khodayari, a Garota Azul, que ateou fogo a si própria após ser condenada por entrar disfarçada em um estádio de futebol. O incidente acabou causando comoção no meio esportivo, e a Fifa solicitou que o Irã liberasse a entrada de mulheres nos jogos. Sob pressão interna e externa, as autoridades iranianas cederam e separaram um espaço para 3 mil mulheres no estádio Azadi, em Teerã, que fizeram uma festa poucas vezes vista.

Union 1 x 0 Hertha Berlin – Não tinha como ser mais simbólico: na sua temporada de estreia na Bundesliga, o Union Berlin recebeu o rival Hertha a poucos dias do aniversário de 30 anos da queda do muro que separou as duas agremiações durante décadas. Sendo os principais clubes berlinenses pós-guerra fria, as equipes são o símbolo da divisão que ainda permanece na capital alemã. Dentro de campo, o antigo lado oriental levou a melhor graças a um pênalti aos 45 minutos do segundo tempo. Mas, antes disso, a partida ficou interrompida por dez minutos porque torcedores do Union arremessaram sinalizadores em campo e a fumaça tomou conta do gramado.

25 de Abril 0 x 1 Al-Ahed – A desconhecida Copa da AFC teve uma final curiosa para os fãs de geopolítica. O time do exército norte-coreano, o 25 de Abril, enfrentou o clube ligado ao Hezbollah, o Al-Ahed. O jogo ainda seria no estádio Kim-Il Sung em Pyongyang, onde as partidas não são televisionadas ao vivo. Para driblar essa restrição, a decisão acabou transferida para Kuala Lampur, na Malásia. Encerrada as polêmicas, Al-Ahed venceu por 1 a 0, gol de Yakubu, e se tornou o primeiro clube libanês a levantar um troféu continental.

Chapecoense 0 x 1 Botafogo – Após a tragédia com o avião da Chapecoense em 2016, ventilou-se a ideia de que o clube de Chapecó devesse ser protegido contra o rebaixamento na Série A. Na época, os dirigentes foram frontalmente contra essa possibilidade. Agora, em 2019, o Verdão do Oeste não superou mais uma temporada ruim na elite e enfim conheceu o descenso. A ironia do destino foi a queda acontecer em plena Arena Condá a dois dias do aniversário de três anos do acidente. Ao torcedor, resta torcer para que o time drible a crise e continue na ativa.

 

Comments