10+ Última Divisão: os jogos que marcaram o ano de 2018

Reprodução/8bit football
0 432

O ano de 2018 foi ano de Copa do Mundo, então é natural que as histórias mais memoráveis tenham aparecido por lá. Mas o que não faltou foram casos fantásticos do mundo bola: o inédito rebaixamento do Hamburgo da elite do futebol alemão, o primeiro título internacional do Athletico Paranaense e as incríveis viradas na Champions League.

Como já é tradição aqui no UD, todo começo de ano nós escolhemos (com ajuda de nossos amigos amantes do futebol) as melhores equipes, jogadores e jogos da temporada que se passou. Relembre como foi:

2014 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores
2015 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores
2016 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores
2017 – Melhores equipes I Melhores jogos I Melhores jogadores

Deixando claro: quando falamos “o que o ano teve de melhor”, nos referimos às melhores histórias pelo nosso critério – ou seja, situações marcantes pelo improvável, seja porque um time pequeno e seus atletas surpreenderam, ou mesmo quando integrantes do mainstream futebolístico proporcionam um momento ímpar (seja por superação de alguém, por ser um grande vexame, etc.)

REGULAMENTO

O regulamento, apenas para reforçar, é o mesmo dos anos anteriores. Em um BRAINSTORM, nossa equipe listou 30 partidas, 30 jogadores e 30 times que marcaram o ano. Desta lista, enviamos um formulário para os seletos eleitores, que deram a cada “candidato” uma nota de 1 a 5, sendo 1 o menos marcante e 5 o mais marcante. Com a divisão de notas totais pelo número de eleitores, fizemos a média para apontar os 10 mais marcantes em cada categoria.

Por fim, deixamos aqui nosso agradecimento aos 21 convidados que tiveram a paciência de votar na eleição de 2018. A atenção de vocês é uma grande recompensa ao nosso trabalho.

 

10+ ÚLTIMA DIVISÃO
OS JOGOS QUE MARCARAM O ANO DE 2018

 

9.  Portuguesa 0 x 3 Oeste (30/01/2018): nota 3,857

(Lucas Ventura/NETLUSA)

O ano de 2018 viu um dos protestos mais curiosos de todos os tempos. Após a derrota por 3 a 0 contra o Oeste pelo Paulista Série A2, torcedores revoltados da Lusa decidiram roubar a tradicional pizza pós-jogos dos jogadores. Eles conseguiram interceptar o motoboy na entrada do estádio do Canindé e deram R$ 300 pelas redondas. Quatro delas ficaram com funcionários do clube e seis foram divididas entre eles. Segundo a NetLusa, um dos manifestantes teria dito: “Não jogam nada e ainda querem comer?”

9. Athletico-PR 1 x 1 Junior Barranquilla (12/12/2018): nota 3,857

(NELSON ALMEIDA/AFP)

Um dia após o presidente do clube, Mario Celso Petraglia, divulgar o novo logo e a marca do Furacão, o agora Athletico recebeu o Junior Barranquilla pela decisão da Copa Sul-Americana. Como o primeiro jogo terminou em 1 a 1, os paranaenses precisavam apenas de uma vitória simples para garantir o título. Logo no primeiro tempo, a Arena da Baixada veio abaixo quando Pablo abriu o placar para os donos da casa. Os colombianos, porém, não deixaram barato. Na segunda etapa, o atacante Téo Gutiérrez empatou. A partir de então, a alegria em Curitiba virou drama. Na prorrogação, o árbitro marcou um pênalti contra o Athletico. O Junior, que já tinha desperdiçado uma cobrança no jogo de ida, repetiu o feito na volta, com Jarlan Barrera chutando sobre a meta de Santos. Com novo empate, seguiu-se para a decisão por pênaltis. E, novamente, o Junior mostrou dificuldades no fundamento e perdeu duas cobranças. Sorte para o Athletico, que conquistou o primeiro título internacional de sua história.

7. Sport 3 x 3 Ferroviário (15/02/2018): nota 3,904

(Anderson Stevens/Folha de Pernambuco)

O ano de 2018 já começou mal para o Sport. Pela segunda fase da Copa do Brasil, o time pegou o Ferroviário do Ceará em partida única no estádio da Ilha do Retiro. Em caso de empate, haveria cobrança de pênaltis. A equipe da casa, porém, não quis dar sopa para o azar e abriu logo 3 a 0, com gols de Anselmo, Fabrício e Marlone. Mas aos 30 minutos da etapa final, o Ferroviário iniciou uma reação incrível, empatando a partida em menos de dez minutos. Nas penalidades, Marlone acabou errando a última cobrança e o Ferrão fez história na Copa do Brasil.

7. Rússia 1 x 1 Espanha (01/07/2018): nota 3,904

(Getty Images)

A Espanha não teve vida fácil no Mundial de 2018. Perdeu o técnico um dia antes da Copa, fez uma difícil estreia contra o rival Portugal e quase perdeu a vaga para a fase final, não fosse um gol salvador de Iago Aspas no último minuto de jogo contra o Marrocos. Nas oitavas, coube aos espanhóis pegar a anfitriã Rússia. A tarefa não parecia tão complicada, tanto que a Fúria abriu o placar aos 12 minutos de jogo. Mas, aos 41 minutos, Piqué colocou a mão na bola e o juiz assinalou pênalti, que foi convertido por Dzyuba. Depois disso, o goleiro Igor Akinfeev acabou sendo o grande nome da partida, fazendo defesas difíceis e fechando a meta russa no tempo normal e na prorrogação. Na decisão por pênaltis, Akinfeev pegou duas cobranças e colocou a Rússia pela primeira vez nas quartas de final de um Mundial.

5. Hamburgo 2 x 1 Borussia Monchengladbach (12/05/2018): nota 3,952

(Morris Mac Matzen/REUTERS)

O clube que se orgulhava de nunca ter sido rebaixado e de ter disputado todas as temporadas da Bundesliga até então acabou caindo em 2018 da maneira mais melancólica possível. Na última rodada, o Hamburgo precisava de uma vitória sobre o Borussia Monchengladbach e ainda torcer para que o já rebaixado Colônia vencesse o Wolfsburg. O Hamburgo até fez sua parte, mas o Wolfsburg escapou da queda ao bater o lanterna por 4 a 1. Com isso, antes que o jogo acabasse, alguns torcedores revoltados do Hamburgo lançaram sinalizadores e fogos de artifício em campo, obrigando a polícia a entrar no gramado para conter os ânimos. Outra parte da torcida aplaudia o esforço dos jogadores. O jogo ficou parado por 15 minutos até que o árbitro encerrasse a partida e decretasse o rebaixamento do clube. Com isso, o famoso relógio do Volksparkstadion, que contava quanto tempo o Hamburgo ficou na primeira divisão, enfim foi zerado.

5. Aparecidense 2 x 1 Botafogo (06/02/2018): nota 3,952

(André Costa/Estadão Conteúdo)

Era para ser um jogo de festa para o Botafogo, em especial para o goleiro Jefferson, que entrava para o Top 5 jogadores que mais vestiram a camisa do alvinegro (442 jogos na ocasião). Só que eles não contavam com a estrela do veterano atacante Nonato, da Aparecidense. A primeira fase da Copa do Brasil 2018 foi disputada em partida única no campo do time mais fraco, segundo o ranking da CBF, com a vantagem do empate para o visitante. Na estreia, o Botafogo chegou a abrir o placar com Rodrigo Pimpão, aos 6 minutos do primeiro tempo. Só que aos 3 minutos da etapa final, Nonato empatou de cabeça. Com o time mal em campo, Pimpão ainda perdeu a cabeça e foi expulso por reclamação. No lance seguinte, saiu o gol da virada da Aparecidense, marcado por Gustavo Ramos. Pintava a primeira zebra da Copa do Brasil.

4. Croácia 2 x 1 Inglaterra (11/07/2018): nota 4

(Yuri Cortez/AFP/Getty Images)

A semifinal da Copa de 2018 colocou lado a lado as surpresas Croácia e Inglaterra. Os croatas vinham de duas vitórias nos pênaltis e nesse jogo não foi muito diferente: eles novamente tiveram que passar pelo tempo extra. Logo no começo do jogo, o lateral Trippier marcou um belo gol de falta para os ingleses. Na segunda etapa, Perišić empatou para a Croácia. O jogo foi para a prorrogação com os dois times atacando sem parar. Mas quem conseguiu colocar a bola na rede foi Mandzukic, que comemorou de forma tão entusiasmada que acabou derrubando o fotógrafo salvadorenho Yuri Cortez, que tirou fotos bastante peculiares da festa.

3. Roma 3 x 0 Barcelona (10/04/2018): nota 4,238

(Andreas Solaro/Getty Images)

Se em 2017 o Barcelona conseguiu operar um verdadeiro milagre ao reverter o resultado adverso contra o PSG, em 2018 o feitiço virou contra o feiticeiro. Na primeira partida válida pelas quartas de final da Champions League, o Barça triturou a Roma em Camp Nou e venceu por 4 a 1. Na volta, em Roma, Dzeko abriu o placar logo nos primeiros minutos de jogo. Com o time catalão desorientado e Messi apagado, o goleiro Alisson quase não trabalhou. No segundo tempo, De Rossi ampliou de pênalti aos 12 minutos, e Manolas, na raça, marcou de cabeça aos 36 minutos. Estádio Olímpico em chamas. Mais do que uma virada heroica, um feito histórico: após 34 anos, Roma chegava às semifinais da Champions League.

2. Argentina 1 x 1 Islândia (16/06/2018): nota 4,38

(Getty Images)

De um lado a Argentina, vice-campeã da Copa de 2014 e uma das candidatas ao título. Do outro, a simpática estreante Islândia, que já tinha surpreendido na Eurocopa 2016. Valeu a espera para acompanhar um dos jogos mais alternativos da Copa. Os gols saíram rápido: Kun Agüero aproveitando uma sobra aos 19 minutos do primeiro tempo e Finnbogason empatando em seguida aos 23 minutos da etapa inicial. Na segunda etapa, os argentinos tiveram dificuldades para achar o gol, até que o juiz assinalou pênalti no argentino Mesa. Messi, o craque do time, foi para a cobrança e Halldorsson, o goleiro cineasta, fez uma grande defesa. Ao fim do jogo, decepção do lado argentino e festa da animada torcida islandesa, que conquistava seu primeiro ponto em uma Copa do Mundo.

1. Coreia do Sul 2 x 0 Alemanha (27/06/2018): nota 4,761

(Getty Images)

Até o início da Copa, ninguém apostaria que a campeã Alemanha cairia tão cedo na Rússia. Após a surpreendente derrota para o México na estreia, os alemães conseguiram respirar ao vencer a Suécia de forma dramática, mas restava bater a Coreia do Sul para continuar no Mundial. Os coreanos não tinham muito mais o que fazer na Copa, mas deram mostras que não entregariam a eliminação tão fácil. Os asiáticos partiram com tudo e deram espaço para os alemães, que pareciam desencontrados em campo. No segundo tempo, a Alemanha até voltou melhor, mas a notícia de que Suécia estava ganhando do México (e ficando com a vaga para a fase final) caiu como uma bomba no time. Após desperdiçar vários gols, a Alemanha recebeu o castigo. Aos 46 minutos do segundo tempo, Kim Youn-Gwon abriu o placar após cobrança de escanteio. O árbitro anulou o gol, mas consultou o VAR e voltou atrás. E, para fechar o caixão, num momento de total desespero, o goleiro Neuer se lançou ao ataque, perdeu a bola e os coreanos ampliaram. Feito histórico dos asiáticos e vexame inacreditável dos alemães.

Quem votou

Allan Brito (Última Divisão), Allan Farina (Goal Brasil), Arthur Chrispin, Bruno Guedes (Agência Efe), Carlinhos Novack (Última Divisão e SPNet), Diego Freire (Última Divisão), Evandro Furoni (Freelancer), Fabio Chiorino (ESPN Brasil), Felipe Augusto Pereira Silva (Revista Série Z), Fernando Cesarotti (Jornalista e professor universitário), Igor Nishikiori (Última Divisão), João Almeida (Linha de Fundo), Julio Simões (Última Divisão), Leonardo Bonassoli (Futebol Metrópole), Lucas Mello (Veja/Placar), Luís Felipe dos Santos (GaúchaZH), Menon (UOL), Napoleão de Almeida (Bandsports e UOL Esporte), Rafael Luis Azevedo (Verminosos por Futebol), Rodrigo Gasparini (Rádio Cruzeiro FM), William Correia (Lance!)

Veja também: Os melhores times  e Os melhores jogadores de 2018

Posts Relacionados
Comments
Carregando...